fbpx
+55 21 ‭2239-6528 contato@thundermustard.com

Não há dúvidas de que existem muitas discussões sobre quais estratégias são realmente importantes para o SEO. No entanto, uma coisa é certa: para gerar tráfego interno no seu site, é fundamental que haja a utilização de links internos.

Apesar de ser um conceito simples, algumas práticas podem ser mais complexas e muitos ainda têm dúvidas sobre como criar uma estratégia eficiente de linkagem interna. Por isso, preparamos um guia prático com dicas valiosas sobre como utilizá-la para impulsionar seu SEO e alcançar melhores resultados nos rankings!

O que são links internos?

Um link interno é qualquer link de uma página que irá te direcionar para outra página do mesmo site. Por exemplo, neste nosso artigo, você irá encontrar links para outros artigos aqui do blog. Ou seja, eles irão te levar a outras páginas do mesmo domínio.

Esses links são utilizados para que tanto os usuários quanto os mecanismos de pesquisa encontrem conteúdos em seu site. Afinal, eles não irão encontrar uma página específica dentro do site se não houver links para ela.

Existem vários tipos de links internos, mas eles costumam ser utilizados para duas funções principais:

  • Links de navegação principal: utilizados para que o usuário navegue pelo site. Eles podem direcionar para a página inicial, postagens, serviços, etc.;
  • Links contextuais: são aqueles inseridos no meio dos conteúdos. Eles direcionam para outros conteúdos que possuem alguma relação com o que está sendo abordado, como os links que foram inseridos neste texto.

Diferença entre links internos e externos

Já abordamos aqui o que são os links internos. Mas e os externos? Qual a diferença? De forma resumida, a linkagem interna é utilizada para conectar páginas e postagens do próprio site. Já os links externos, são aqueles que irão direcionar para outros sites, ou seja, sites de outros domínios. 

Qual a importância da linkagem interna para o SEO?

A linkagem interna tem um papel fundamental para o bom desempenho do seu site. Os mecanismos de pesquisa irão seguir links para descobrir os conteúdos do site e para classificá-los nos resultados de pesquisa. Portanto, quanto mais uma página recebe links, mais sinais o Google terá que ela é relevante e de alto valor. 

É por isso que a linkagem interna é essencial para o SEO. Como proprietário do site, você pode controlá-la e escolher os links certos para guiar os usuários e mecanismos para as suas páginas mais importantes.

Além disso, ela também é útil para estabelecer a hierarquia de informações do site. Como já foi citado, os mecanismos precisam rastrear os caminhos de navegação para encontrar todas as páginas de um site. Quando o site oculta um link de navegação principal que leva a conteúdos importantes, ele faz com que os mecanismos não consigam acessá-los, pois não haverá nenhum link direto rastreável apontando para essas páginas. Isso prejudica a capacidade do site de obter mais páginas listadas nos índices de pesquisa.

Por fim, a linkagem interna também ajuda a distribuir o valor do link entre todos os outros de uma página. É comum que uma página inicial tenha um maior valor de link por ter mais backlinks. Esse valor será compartilhado entre todos os outros links que estão na página inicial, ou seja, será dividido nos links da página seguinte e assim por diante. Por isso, o ideal é que suas postagens mais recentes tenham um link na página inicial e não apenas nas categorias. Dessa forma, o Google encontrará o conteúdo de forma mais rápida.

 

Táticas para criar uma estrutura de linkagem interna 

Veja agora algumas dicas para criar uma estrutura de linkagem interna eficiente:

1. Torne os links relevantes

É fundamental inserir links relevantes e que sejam realmente úteis. Quando o usuário acessa um link, ele precisa ter relação com o conteúdo principal, principalmente em blog posts. Se isso não for feito, o Google pode identificar que tem algo errado e prejudicar o ranqueamento.

Portanto, se você possui vários artigos sobre o mesmo tópico, tente fazer a linkagem entre eles. Dessa forma, o Google saberá que eles estão relacionados. Para mostrar qual conteúdo é o principal e o mais completo entre eles, basta adicionar um link para ele em todos os artigos do tópico em questão.

2. Utilize a hierarquia

Outra dica é utilizar a hierarquia do site para vincular as páginas. Por exemplo: vincule as páginas principais às páginas secundárias e vice-versa. Também lembre-se de vincular as páginas que estão no mesmo nível. 

Estabelecer uma hierarquia de linkagem interna também é fundamental. Defina quais conteúdos precisam ser linkados com frequência, quais devem ser colocados em seções fixas, etc.

3. Proporcione uma boa experiência de usuário

Apesar de ser uma estratégia que atrai os mecanismos de pesquisa, a linkagem interna também pode melhorar a experiência do usuário, fator que é essencial para o SEO. Veja algumas práticas que auxiliam neste processo:

  • Estabeleça uma maneira de navegar no site que não faça com que os usuários se sintam perdidos ou tenham que pensar demais;
  • Ofereça caminhos de navegação fáceis, com no máximo 4 cliques para chegar a qualquer página;
  • Seja consistente no formato de navegação, nos princípios de design e no padrão em como os links aparecem para o usuário;
  • Tenha uma URL única para cada conteúdo;
  • Siga exemplos de arquitetura de site de outros padrões da indústria em que o site está inserido.

4. Tenha atenção com o texto âncora

O texto âncora é aquele em que o link irá ser inserido, ou seja, uma ou mais palavras que vão estabelecer um link para outra página. É fundamental que os links sejam colocados durante o texto de forma contextual em palavras descritivas e não em expressões como “clique aqui”. 

O Google criou algoritmos específicos para identificar algumas práticas como spam e bloquear alguns tipos de comportamentos. Por isso, veja abaixo quais ações devem ser evitadas:

  • Esteja atento para não colocar palavras-chave demais como texto âncora dos links. Isso pode causar o chamado Keyword Stuffing;
  • Não abuse dos links no rodapé;
  • Tenha equilíbrio na distribuição de links, pois o Google pode identificar como indicações não confiáveis.

Agora que você já sabe tudo sobre linkagem interna e como utilizá-la, você pode conferir outros conteúdos sobre SEO no blog da Thunder Mustard.