+55 21 3079-7050 [email protected]

A maior anunciante do mundo, deixará de veicular Facebook Ads com targets muito específicos

Ontem a Procter & Gamble anunciou mudanças radicais em seu marketing digital e sua estratégia no Facebook Ads.  A empresa americana que é a maior “consumidora de publicidade” do mundo, vai passar longe de anúncios no Facebook que se destinem a consumidores específicos demais, depois de concluir que a prática tem eficácia limitada para ela.

O Facebook passou muito tempo desenvolvendo em sua ferramenta de Ads a capacidade de focar em consumidores com base em dados demográficos, hábitos de compra e marcos da vida. A P&G, a fabricante de bens de consumo incluindo desde produtos de limpeza e higiene pessoal até fraldas, inicialmente, aproveitou a oportunidade para comercializar diretamente para conjuntos de compradores, como fez anunciando barbeadores para adolescentes que provavelmente estariam comprando um pela primeira vez, por exemplo.

Marc Pritchard, diretor de marketing da P&G, disse que a empresa tem percebido que manteve a estratégia por tempo demais. O executivo disse que a P&G não vai cortar gastos no Facebook, apenas vai empregar anúncios direcionados em o que faz sentido, como exemplificou afirmando continuar com a estratégia de anunciar fraldas para mulheres grávidas.

Em uma escala mais ampla, a mudança da P&G destaca os limites de tal segmentação na plataforma do Facebook Ads para grandes marcas, uma das principais ferramentas de publicidade do Facebook. Segmentar demais pode não ser uma estratégia boa para grande marcas, diferente do que ocorre com pequenos e médios negócios.

PeG marketing digital

O anúncio da P&G veio no mesmo dia em que informou planos para tornar impossível o bloqueio de propagandas em seu site, utilizando plugins em navegadores, por exemplo. O que aumenta ainda mais o número de usuários visualizando os Ads. Mesmo que isso não signifique que os usuários da rede social vão ver menos propaganda em sua timeline. Mesmo com a mudança na plataforma para impedir o bloqueio, o volume de anúncios exibidos permanecerá o mesmo. A  grande diferença é que serão veiculadas propagandas mais relevantes para os utilizadores do Facebook, já que eles poderão informar para a rede social o que não desejam ver.

Conclusões gerais

Toda ferramenta passa por melhorias e evoluções (ou pelo menos assim deveria ser). E isso ocorre constantemente com o Facebook. Esse movimento da P&G só nos indica que as marcas anunciantes, ou seja, quem utiliza a ferramenta, também deve fazer o mesmo. O potencial dos Ads no Facebook já foi mais do que comprovado e é natural que as marcas deem cada vez mais importância a isso. Sempre que for dado mais importância haverá mais atenção nas estratégia adotadas e uma busca constante pelo melhor retorno. O que vemos com a P&G certamente veremos com outras grandes marcas e grandes anunciantes, é mais do que natural. Não há motivos para alarde ou preocupações com o futuro da ferramenta… Muito pelo contrário!

E o seu negócio? Já sabe se posicionar na internet?

Avalie!